Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mais Beja


Segunda-feira, 11.01.16

E após 500 publicações no blog...

Alentejo 1

Olá.

 

Começo este post por "Olá" para o tornar mais pessoal, como se de uma carta se tratasse. Escrevo para dizer que o blog Mais Beja vai ficar suspenso. Ou seja, não é uma despedida, é um "até já".

Os motivos são simples. Deve-se à falta de tempo que impedem que consiga criar publicações de qualidade e de forma regular (bi semanal). A vida pessoal e profissional - e o cansaço de ambas as actividades - tiram-me o tempo todo que tenho, chegando a ser impossível sequer pensar no blog. Além disso, o blog, passado cerca de 3 anos e meio necessitava de actualizar-se, mudar de imagem e oferecer novas publicações, não tendo actualmente tempo para essa nova tarefa.

 

Sinto também que as 500 publicações que escrevi - sim, esta publicação, e apenas por acaso, não havendo qualquer simbolismo, é a nº 500 - relataram tudo o que penso e vejo sobre a nossa cidade e região. Um bom exercício, talvez, será daqui a alguns anos, observar e analisar se algo mudou das ideias e críticas que fui escrevendo para e sobre a nossa cidade. Coincidência ou não, várias ideias, sugestões e críticas que escrevi, passado algum tempo tornaram-se realidade. Não sei se tive influência ou se simplesmente outras pessoas, com poder tiveram os mesmos pensamentos e sentido crítico.

 

A todos os leitores, seguidores no facebook e comentadores, o meu sentido obrigado. Sinceramente, nunca pensei chegar tão longe com o blog uma vez que foi um projeto solitário. E porque digo que é um "até já" ? Porque o meu amor por Beja mantém-se e sei que um dia voltarei com mais tempo e força. Não sei quando será, mas um dia regressarei.

 

Cumprimentos a todos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Publicado por P às 14:00

Terça-feira, 29.12.15

2015 que já lá vai e 2016 que aí vem…

Pobreza.png

Gostaria de dizer que 2015 foi um ano melhor que os anteriores e 2016 vai ser o ano da viragem, da mudança. Gostaria de dizer que o bacalhau e o Porco Doce do Luiz da Rocha no Natal me caíram bem e as 12 passas mais o champanhe vão saber-me bem. Não posso. Não consigo.

Este final de ano não é para festas e festejos, porque depois dos crimes e calotes do BANIF e BES, que nós, pobres, quietos e inertes contribuintes vamos pagar, não posso estar feliz.

Só o calote do BANIF no valor de 2.2 mil milhões de euros (leia bem a quantidade de zeros: 2.200.000.000,00€), permitiriam construir quantos hospitais, escolas, universidades, postos de trabalho, lares, creches, etc? É intolerável. E pior de tudo, é o facto de nenhum dos responsáveis, incluído os responsáveis pela falência do BES, GES, BPN e BPP estarem presos torna tudo ainda mais imoral e desumano perante a pobreza extrema de milhares de famílias e milhões de portugueses. É atroz! É violência pura e dura!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por P às 21:00

Sábado, 19.12.15

Árvore de Natal de Beja

Árvore de Natal Beja 2015.jpg

A todos os leitores do blog, Feliz Natal e um Ano Novo cheio de felicidade e saúde!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por P às 20:00

Segunda-feira, 14.12.15

Ranking de municípios: em que posição ficou a cidade de Beja?

Castelo de Beja.jpg

De acordo com um estudo realizado em 2015 pela consultora Bloom Consulting, que avalia quais os melhores municípios em Portugal para viver, visitar e fazer negócios, a nossa cidade, ficou em 37º lugar, em 308 concelhos. Mais precisamente, ao nível no Turismo ficámos na 34º, no Viver em 38º e nos Negócios em 49º. 

Não estamos mal, se olharmos para o total de 308 municípios que existem em Portugal, é certo, mas se compararmos com cidades semelhantes a nós, como Évora, a imagem muda. Évora, em termos de turismo encontra-se na 9ª posição e nos negócios em 21º. Estes dois indicadores são reveladores do atraso em que se encontra Beja, ao nível da atracção de empresas e geração emprego, motores de desenvolvimento social e económico. Vários factores poderão ser debatidos e rebatidos, mas julgo que não vale a pena olhar para trás e para o que foram os últimos 40 anos. O futuro é que interessa e para tal é preciso olhar para ele. Para tal é preponderante a pensar, planear e organizar uma estratégia de mudança e de “luta” face a melhores acessibilidades e, quem governa a cidade, aposte de uma vez por todas no turismo como motor de desenvolvimento e criação de emprego.
Beja não sairá do marasmo em que se encontra se não apostar na economia, seja através de turistas, hotéis, e outros negócios associados ou através da atracção de empresas na área da agricultura.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por P às 17:00

Segunda-feira, 07.12.15

O dinheiro público e a comunicação social em Portugal

SATA e TAP.jpg

A cidade de Beja e a região têm sido vítimas de críticas negativas e injustas ou motivo de anedota nacional por ter sido construído um aeroporto que não recebe aviões e passageiros. Como escrevi nesta publicação, intitulada “Reportagem SIC sobre o aeroporto de Beja: uma verdade não dita” a história não é bem como se conta.

Se poderá haver críticas face ao investimento e há necessidade de investir em outros projectos na cidade ou na região, é também verdade que o investimento foi pequeno porque grande parte do aeroporto estava construído há décadas, servindo como Base Aérea Militar.

Mas, como é do conhecimento geral, dinheiro público gasto ao desbarato há por todo o lado e por todas as regiões do país, que não sendo motivo de desculpa, é motivo para que se falem delas e não apenas de Beja e/ou do Aeroporto de Beja.

A última e pouco divulgada notícia, é a companhia aérea pública dos Açores, a SATA, que no ano passado deu um de prejuízo de 35 milhões de euros, tendo sido revelado uma total má gestão. Num momento em que temos companhias aéreas low cost e a TAP, empresa semi-pública, porque haverá o Estado de manter uma 3ª empresa de transporte aéreo que gera prejuízos a todos os contribuintes?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por P às 11:04

Sexta-feira, 27.11.15

Buracos e mais buracos na cidade de Beja

Rua de Beja.jpg

Um pouco por toda a cidade há buracos que crescem como cogumelos ao longo do asfalto, com certas artérias da cidade em péssimo estado de conservação, que agravam com a chegada da chuva.

E não, não falo das obras recentes de renovação de ruas e estradas que felizmente estão a acontecer em 2 ou 3 locais específicos. Falo dos buracos que foram abertos pelas empresas de gás para colocar condutas de gás, mais tarde foi a EMAS, ao reformar as condutas de água e, mais recentemente, a empresa de telecomunicações da NOS para colocar a fibra ótica na cidade. Não crítico as obras, que sem dúvida, melhoram a qualidade de vida de todos nós. Crítico é o facto de as obras não serem todas feitas na mesma altura e de uma só vez, permitindo poupar tempo, dinheiro e transtorno aos munícipes e de a repavimentação não ser devidamente feita, que passado pouco tempo, voltam a abrir.

Há também o problema dos passeios e calçadas que ficam com buracos e declives acentuados, ora pela abertura de buracos, ora pela força das raízes das árvores e ninguém – a Câmara – faz nada para reparar o pavimento.

Como tal, para bem da circulação de pessoas e veículos, urge arrancar com as obras de reabilitação por toda a cidade

 

E como direito para todos os munícipes, se ocorrer uma lesão ou acidente e a culpa do município resultar da certeza de que tenha havido uma violação do dever de vigiar a via e de sinalizar o perigo inerente à presença do buraco [artigo 483.° do Código Civil], a Câmara é obrigada a indemnizar os lesados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por P às 18:00


Siga-nos no facebook




Pesquisar

Pesquisar no Blog