Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mais Beja

Mais Beja

06
Fev17

EMAS e a qualidade da água

Mais Beja

aguaspublicasalentejo.jpg

Por toda a cidade, a população refere que a água fornecida pelas empresa públicas, a EMAS e Águas Públicas do Alentejo, proveniente da barragem do Roxo, não tem qualidade para ser consumida, não devendo ser bebida ou usada na alimentação. É errado. A água tem qualidade, uma vez que cumpre todas as regras de qualidade e segurança nacionais e europeias. A água da rede pública tem um sabor mau. E isso são coisas diferentes.

Há o mito, que a água não tem sabor. A água tem sabor devido às suas características únicas de ph, minerais, etc, que dão sabor ao líquido.

Atualmente, em que cada vez mais se fala de sustentabilidade, proteção do ambiente e poluição em excesso, seria vantajoso a correção dessa situação, uma vez que praticamente todas os habitantes no concelho preferem beber água do “garrafão”, ou seja, comprada nos supermercados. Esta acção, tem um impacto brutal no ambiente, uma vez que implica o engarrafamento de água em recipientes de plástico, o seu transporte em camiões e o lixo produzido, que depois de se consumir, muitas vezes, a embalagem de plástico nem vai para a reciclagem. Se todos bebêssemos água da torneira, seria possível poupar dinheiro e o ambiente.

 

Se beber 2 litros de água da torneira por dia, ao fim de um ano gasta a quantia irrisória de 1,75€/ano. Um garrafão de 5 litros, custa 1,5€.

Veja-se o caso da cidade de Lisboa:

FAZ PARTE DE SI ... é a nova campanha da EPAL de incentivo ao consumo de água da torneira

EPAL Lisboa.jpg