Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mais Beja

26
Jul17

Lenda de Beja

Brasão de Beja.jpg

A lenda de Beja revela o motivo pelo qual existe no brasão da cidade a cabeça de um touro. Diz-nos a lenda:

«Muito antes dos lusitanos, o local onde hoje se encontra a nobre cidade de Beja com as suas muralhas romanas, os seus prédios góticos, a mesquita árabe e o castelo do princípio da monarquia portuguesa. Essa Beja com documentos que representam 4 civilizações, era pequeno povo que vivia em cabanas cobertas de colmo, que apenas se empregava no exercício da caça. Todos esses campos ubérrimos de pão que vemos hoje, eram um compacto matagal, impossível de ser penetrado pelo homem. E uma serpente, uma serpente monstro que tudo matava, tudo triturava, era a horrível preocupação do povo que habitava no local que mais tarde, no tempo dos romanos, se havia de chamar Pax-Júlia, depois no domínio árabe se chamou Buxú e presentemente se chama Beja. Um ardil, porém, germinou no cérebro de um habitante dessa região: envenenar um toiro, deitá-lo para a floresta onde existia a tal serpente. Aprovada por todos essa ideia, o toiro foi envenenado e deitado para o local indicado».

14
Jul17

Beja tem obra de Vhils

Alexandre Farto, mais conhecido por Vhils, é uma referência mundial em arte urbana. Esculpiu caras numa das paredes do Parque Vista Alegre, criando a sua primeira obra no Baixo-Alentejo.
O parque também possibilita a observação da antiga muralha da cidade, misturando o antigo e o novo, e a passagem pedonal entre as Portas de Mértola (Rua Capitão João Francisco de Sousa) e a Rua do Sembrano.

Vhils em Beja (1).jpg

Vhils em Beja (3).jpg

Vhils em Beja (2).jpg

FOTOS: MAIS BEJA

03
Jul17

Pelourinho de Beja

O pelourinho de Beja foi mandado construir por D. Manuel I (Rei de Portugal entre 1495 e 1521) após concessão do foral à cidade de Beja, em 1521, servindo como símbolo de autonomia dos concelhos no passado. À semelhança de outras obras régias da época, também neste pelourinho figuram símbolos monárquicos, como a esfera armilar e cruz de Cristo em ferro. Apresenta também como decoração motivos em forma de flor entre espirais e anéis ao longo do pelourinho.
O pelourinho foi destruído em 2001, devido a um acidente, tendo sido reconstruído segundo o modelo original. Os destroços encontram-se no interior no Castelo, junto à Casa do Governador.

Pelourinho de Beja (4).JPG

Pelourinho de Beja (2).JPG

Pelourinho de Beja 1.2.jpg

Pelourinho de Beja (5).JPG

FOTOS: MAIS BEJA