Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mais Beja

22
Abr22

Como poupar dinheiro, reduzir a dependência energética da Rússia, ajudar a Ucrânia e o planeta

Mais Beja

playing-my-part.png

FONTE: https://www.iea.org

 

Cidadãos em toda a União Europeia querem agir para ajudar a Ucrânia após a invasão da Rússia. Muitos também estão enfrentando contas de energia mais altas por causa da crise energética exacerbada pela guerra. Usar menos energia é uma maneira concreta de os europeus reduzirem suas contas, reduzirem a dependência de combustíveis fósseis russos, demonstrarem solidariedade com o povo ucraniano e apoiarem a ação climática.

Muitos europeus já responderam à invasão russa da Ucrânia fazendo doações ou auxiliando diretamente os refugiados. Mas cortar o uso de energia também é uma forma de apoiar a Ucrânia, reduzindo a necessidade de petróleo e gás russos, ajudando a reduzir os fluxos de receita que financiam a invasão.

A Agência Internacional de Energia (AIE), em coordenação com a Comissão Europeia, desenvolveu uma série de medidas simples que os cidadãos podem tomar para economizar energia agora:

1) Reduzir o aquecimento e usar menos ar condicionado

2) Ajustar a temperatura da sua caldeira

3) Trabalhar em casa

4) Usar o carro de forma mais económica

5) Reduzir a velocidade na estrada

6) Deixar o carro em casa aos domingos nas grandes cidades

7) Caminhar ou andar de bicicleta em viagens curtas em vez usar o carro particular

8) Usar os transportes públicos

9) Usar o comboio, em vez do avião

 

Saiba mais em: https://www.iea.org/reports/playing-my-part

 

18
Abr22

COMUNICADO: Facebook irá eliminar conta do blogue

Mais Beja

No_Facebook.png

 

Por motivos alheios ao blogue, a conta de Facebook do Mais Beja vai ser eliminada a 11 de maio de 2022. Segundo a informação enviada por e-mail, a conta é uma “conta cinzenta”. Após pesquisar, o problema estará no facto de a página, quando foi criada, ser um “Perfil”, ao invés de uma “Página”. Esta mudança, que antes era automática, deixou de estar disponível por parte do Facebook. Para solucionar, teria de eliminar o perfil, criar uma página “Business” e recomeçar do zero.

Na pesquisa que realizei, também é referido que esta situação acontece quando a conta de Facebook é marcada como “perfil falsa”, o que não corresponde à verdade, uma vez que representa o blogue, fazendo parte da divulgação de conteúdo próprio e notícias, com simples comentários. Ou seja, alguns utilizadores, descontentes com a minha página, “disseram” ao Facebook que era uma conta falsa e, automaticamente, a empresa tecnológica deu ordem para fechar a conta.

Assim, e face a este ser uma política do Facebook, iremos continuar apenas no blogs SAPO (https://maisbeja.blogs.sapo.pt) e Instagram (https://www.instagram.com/blogue.maisbeja), se também não for eliminada, uma vez que a Meta, é propriedade do Facebook e Instagram.

Esta página, é a plataforma principal (blogs SAPO), que é onde escrevo e publico o conteúdo, prosseguindo os objetivos do blogue (ler Carta de Intenções). Assim, e de forma humilde, peço aos leitores para partilharem as publicações que escrevo nas várias redes sociais.

 

Cumprimentos a todos/as.

10
Abr22

Não existem acessos rodoviários e ninguém faz nada

Mais Beja

Mapa de Beja sem acessos rodoviários.png


Há muitos aspetos da nossa cidade, que são surreais. Alguns são simples e óbvios de constatar. Outros, com um olhar atento, é possível reparar. Outros há, que só uma reflexão séria permite notar.

Imagine, caro cidadão bejense, que está no centro, na zona oeste (ponto A), norte (ponto B) ou sul da cidade (ponto C) e quer ir, de carro, para outra zona da cidade, onde se encontra o Bairro da Quinta Del Rey, Bairro do Pelame, Bairro da Conceição, Parque industrial, Beja Retail Park ou Bairro da Esperança (ponto D/bola vermelha). Que opções rodoviárias tem?

Analisando a questão, esta está logo mal colocada, porque está no plural (“opções”). Para ir do ponto A, B ou C para o ponto D, só tem uma opção. Sim, para ir para a zona do parque industrial, onde se situam grande parte das empresas e onde surgem novas habitações, apenas há uma opção de acesso: Rua General Teófilo da Trindade ou Rua Pedro Vítor -> Rua Dom Afonso III (seta amarela). Acabou.

Beja, é uma cidade pequena, mas está cortada. E o problema não é a linha de comboio, porque isso é uma barreira psicológica. Por todo o mundo, há cidades atravessadas com linhas de comboio, nas quais são colocadas em prática medidas para atravessar as linhas de comboio com total segurança e fluidez, como simples passagens desniveladas. Mas por cá, seria até mais fácil uma vez que a linha de comboio que atravessa grande parte da cidade (linha de comboio Beja-Funcheira), está desativada.

Passagem desnivelada (2).jpg

 

A alternativa é sair de Beja, apanhar a IP2, depois o IP8 e entrar em Beja. Esta hipótese duplica a distância (em quilómetros), além de na prática o condutor ter de sair de Beja para voltar a entrar em Beja.

 

Pouco ou nada conheço dos ex-vereadores e ex-responsáveis/chefes de departamento da Câmara, mas uma coisa sei e tenho a certeza: reflexão e planeamento nunca existiu em Beja. E Beja, será sempre uma promessa utópica.

 

Outra zona segregada da cidade, por quase ausência de acessos rodoviários, é o Bairro de São João. Um dia, falarei desta situação, em outra publicação.

05
Abr22

Centro de Artes e Arqueologia de Beja: haverá mais exposições?

Mais Beja

Centro de Arqueologia e Artes de Beja - RVP.jpg

FOTO: RÁDIO VOZ DA PLANÍCIE

 

Após o fim da exposição “Cangiante”, em novembro de 2021, numa parceria entre a Câmara Municipal e a Fundação Caixa Geral de Depósitos (Culturgest) que muita alegria, vida e turistas trouxe à cidade, algo raro nas últimas décadas, que acontecerá agora no novo espaço da cidade? Haverá mais exposições semelhantes no Centro de Artes e Arqueologia de Beja? Por exemplo, uma exposição com obras do Estado Português? Haverá parcerias com privados? A Câmara irá colocar no espaço as obras do artista Jorge Vieira? Ou simplesmente irá ficar encerrado?

 

Enviei estas questões à Câmara Municipal e ao Presidente Paulo Arsénio. Se houver resposta, divulgarei aqui.

 

Post scriptum: Apesar de não ter obtido qualquer resposta oficial por parte da Câmara, vai existir uma nova exposição no Centro de Artes e Arqueologia. A exposição "A ARTE QUE É - III", de Pedro Portugal, estará patente de 9 de abril a 31 de agosto de 2022.