Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mais Beja

22
Abr20

Caldeiras sem árvores (publicação nº 600)

Caldeiras Beja (1).jpg

FOTOS: MAIS BEJA

 

Por toda a cidade existem inúmeras caldeiras (ou canteiros) vazias nas ruas, sendo apenas local para os cães defecarem, cidadãos colocarem o lixo ou simples buracos para peões, mais distraídos, sofrerem acidentes.

Este problema mantém-se há vários anos e em várias ruas da nossa cidade e, até hoje, ninguém (leia-se Câmara Municipal e Juntas de Freguesia) resolveu essa grave falha. Um problema que poderia ser facilmente resolvido, uma vez que não acarreta um enorme investimento (sistema de rega?) e a própria Câmara Municipal tem um viveiro de plantas.

É importantíssimo, em termos paisagísticos, climáticos e ambientais, a colocação de mais árvores na cidade, ainda para mais numa cidade muito quente em cerca de metade do ano.

As fotos em baixo ilustram alguns locais:

 

600º publicação!

Esta publicação é o número 600. Sim, foram criadas neste espaço 600 publicações em 7 anos, a somar a mais umas dezenas de fotos no facebook e no instagram. Nunca pensei conseguir escrever tanto, de positivo e negativo, sobre a cidade. Além disso, ao escrever aqui, obrigou-me a conhecer a cidade como nunca a tinha conhecido e, provavelmenten, poucas a conhecem. Curioso, é sendo este espaço, um local de totalidade liberdade e cidadania, conseguir “comemorar” em vésperas do 25 de abril, Dia da Liberdade para toda a nação. Espero ter tempo, energia e motivação para continuar a escrever sobre nós.

Por outro, este meu “trabalho” é triste, porque é revelador, não apenas a quem escreve aqui, mas a quem lê, do imobilismo e inércia em que se encontra a cidade, sendo por vezes frustrante, ano após ano, revelar sempre os mesmos défices e carências que existem na cidade. Sei que é impossível ter tudo e fazer tudo, mas há falhas simples de resolver (como o exemplo desta publicação) em que nada é concretizado. Há outras necessidades, vitais e essenciais para todos os que vivem nesta cidade, que não se realizam, mas que noutra qualquer cidade, de um país de primeira linha Europeu, são concretizadas.

Há sim, muitas promessas por parte do poder político local e nacional. E, como diz o povo, “de boas intenções o inferno está cheio”.

1 comentário

Comentar post